Artigos

Empreendedorismo, Licitação

Cuidado – sua empresa pode estar correndo riscos desnecessários ao licitar

Cuidado – sua empresa pode estar correndo riscos desnecessários ao licitar

Encaremos os fatos: não dá para participar de uma licitação sem preparação. É verdade que o segmento de negócios públicos não para de crescer, representando hoje 14.5% do PIB brasileiro, mas não podemos cair no erro de achar que é um mercado de fácil acesso ou que não possui riscos envolvidos.

Muitos empreendedores caem em enrascadas difíceis de sair, mas que poderiam ter sido facilmente evitadas se tivessem prestado atenção a algumas peculiaridades do setor público. Quando falamos de licitações não existem pedidos de desculpas: se você for incapaz de cumprir o contrato, pagará as consequências, podendo responder até criminalmente, dependendo da infração cometida. 

Por isso, separamos abaixo três pontos importantes que você deve prestar atenção antes de sair por aí se candidatando aos editais que aparecem. 

Não prometa mais do que é capaz de entregar

Não se arrisque à toa. Se você não tem experiência de mercado, não finja que tem. A entrega de um produto ou serviço exige perfeita ciência do que está sendo feito – não vá na inocência. É necessário levar em consideração uma série de fatores que incidirão diretamente no lucro: mão de obra, infraestrutura, transporte, impostos, sazonalidade do produto, são alguns deles.

A principal responsabilidade pelo cumprimento do contrato é sua. É necessário estar preparado para responder adequadamente às possíveis eventualidades que possam ocorrer no percurso. É claro que é impossível levar em conta todas as variáveis, mas uma experiência sólida em sua área de atuação lhe fornecerá a base necessária para reagir e improvisar de acordo com cada situação.

Atenção ao tempo necessário para entregar o produto ou serviço. Se você não for capaz de cumprir o prazo, poderá sofrer penalidades gravíssimas – indo desde multas até a suspensão do seu direito de licitar e contratar com a Administração Pública. Não adianta argumentar que não havia tempo suficiente ou que você não sabia: esse tipo de coisa não funciona com o governo e as penalidades, certamente, virão. 

Por isso, seja sincero quanto às reais condições e capacidades da sua empresa. Lembre-se: o peixe morre pela boca. Não tente engolir contratos maiores se ainda não possui a experiência necessária para tal. 

Leve em consideração todos os custos

Muitas empresas, principalmente aquelas que vão participar de licitações do tipo Menor Preço, se envolvem em uma sinuca de bico à toa. No desespero para ganhar a disputa, jogam o preço lá embaixo para se tornarem competitivas. Algo válido, mas que deve ser feito com muita calma e responsabilidade, ou você será obrigado a cumprir um contrato cujo valor não cobre os custos. 

O que fazer nessa situação? 

Não adianta justificar que a empresa está tendo prejuízo. Depois que ganhou a licitação, deve-se finalizar o serviço pelo preço acordado. É possível rescindir o contrato, mas, novamente, existirão consequências graves para o negócio.

Por isso, antes de participar de qualquer certame, tenha bem em mente qual é o preço mínimo que você é capaz de fornecer. Bote todos os gastos em uma planilha e, com base nele, fixe um preço. 

Não desça abaixo do seu menor valor motivado pela vontade de ganhar, você ainda terá muitas outras chances para fechar negócios com o governo. Por exemplo, diariamente publicamos mais de 4000 novas licitações em nossa plataforma, chances para você ganhar outros contratos não faltam. 

Tenha capital de giro suficiente

É chato quando acontece, mas a administração pública pode atrasar o pagamento. Ao contrário do que acontece no mercado privado, mesmo nessa situação, você ainda é obrigado a prestar o serviço, não tem jeito. 

Então avalie: na eventualidade da administração atrasar, é possível manter o serviço? Se a resposta for negativa, cuidado. Seu negócio pode estar operando em risco. Nada te proíbe de fazê-lo, mas pelo menos, corra o risco consciente, sabendo o que está fazendo e quais as consequências que você se dispõe a sofrer caso os piores cenários se concretizem.

Existem riscos ao licitar, mas não se preocupe

Apesar de todos estes pontos de atenção, o mercado de licitações públicas continua sendo o mais lucrativo que existe, pois o governo tem demanda infinita e está sempre aberto a novos contratos.

Riscos estão presentes em qualquer tipo de negócio, não há como fugir deles. A questão é saber que existem e se preparar para gerenciá-los da melhor forma possível.

Quer saber mais como gerenciar os riscos do seu negócio? Assine nossa newsletter e receba o melhor conteúdo.

Posts Relacionados

3 Comments

  1. Avatar
    Bianca Vitorino

    A grande verdade é que muitas pessoas físicas estão criando pessoas jurídicas para “ganhar licitação”, sem se atentar à realidade da prestação dos serviços. Essas empresas não conseguem cumprir o contrato e estas mesmas pessoas físicas abrem outras empresas em nome de terceiros e assim vai se tornando uma “bola de neve”.
    Não há um estudo relacionando cumprimento integral de contrato à prestação de serviços ou fornecimento , um percentual de quantas destas estas empresas que ganham a preços baixíssimos conseguem finalizar o contrato.
    Enquanto isso os órgãos lucram com a produtividade impossível de ser alcançada. E a questão é: isso não está saindo mais caro?

  2. Avatar
    Horacio Ferragino

    Muito bom artigo, parabéns pela iniciativa. Avante e inovando sempre!!

  3. Avatar
    García D'ávila

    O mais triste nesse ramo é saber da existência de vários vícios e ilícitos praticado dos dois lados do balcão e o pior ainda é uma empresa que até o momento seja idônea tenha que se corromper para continuar viva e quando descoberta ela é quem é o corrupto ativo e o ordenador de despesas é passivo.

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *