Notícias

Licitação para obras é adiada, e Fazenda Colubandê segue sem previsão de restauração

26/05/2017 | |

Publicação do portal osaogoncalo.com.br de 25 de maio de 2017

Quem torcia por boas notícias sobre o processo de restauração da histórica Fazenda Colubandê, em São Gonçalo, vai precisar esperar mais, já que as quatro empresas interessadas em reformar o patrimônio não compareceram à tomada de preços, realizada pela Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio (Emop), na quarta-feira.

Ainda sem previsão para a restauração, o espaço que abriga o casarão e a Capela de Santanna seguem em estado de abandono. Por meio da assessoria de imprensa, a Emop informou que “a licitação foi deserta. Embora quatro empresas tenham comprado o edital, nenhuma delas compareceu para apresentar proposta. Portanto, será remarcada uma nova data para a licitação”.

Para os grupos de mobilização envolvidos na conservação e restauro da Fazenda Colubandê, a luta continua.

“Agora temos que aguardar um posicionamento do órgão responsável, mas enquanto isso a luta continua. Neste sábado, a partir das 10h, faremos uma reunião com todos envolvidos na ocupação cultural da Fazenda. Estamos cuidando, fazendo limpezas periodicamente. Parece que o governo do Estado tem se tornado mais sensível atualmente com toda essa movimentação da sociedade e esperamos que isso continue e surta mais efeitos”, contou o professor e historiador Claudio Prado de Mello, do Instituto de Pesquisa Histórica e Arqueológica do Rio de Janeiro (Ipharj).

Abandonada desde 2012, quando o Comando de Policiamento Ambiental (CPAM) parou de funcionar no local, a Fazenda Colubandê, que já sofreu ações de criminosos e falta de manutenção, segue agora com atenção de grupos de mobilização, entre eles o SOS Fazenda Colubandê e o SOS Patrimônio. Atualmente, o espaço está sob responsabilidade do Governo do Estado.