Passo a passo para começar a licitar

Para ajudar os iniciantes, decidimos organizar um tutorial bastante resumido, frisa-se, a fim de tornar mais claro os passos necessários para quem quer começar a vender para o governo. 

Sabemos que existe um mar de leis, jurisprudências e exigências, que tornam um pouco difícil (e até assustador) dar o primeiro passo. Se este é o seu caso, leia este artigo, pois temos certeza que ele irá facilitar o seu caminho. 

Busque Conhecimento…

O ET Bilu estava certo: o importante é buscar conhecimento. Se você quer vender para o governo e não tem conhecimento em licitações, isso deve ser corrigido. 

Neste sentido, o blog do ConLicitação é uma excelente maneira de buscar este conteúdo mais basilar e até de se manter atualizado na área. A atualização constante é extremamente importante, pois as leis e procedimentos não param de mudar e todos os dias surgem inovações que você precisa estar atento. 

Se você deseja maior aprofundamento, o Instituto Licitar é uma das melhores instituições de cursos presenciais voltados para o universo das licitações. Com um time de professores renomados, você tem a garantia de que o conteúdo exposto nas aulas é o mais atualizado do mercado.

Não caia no erro de achar que você pode participar de licitações só para ver como funciona e aprender na prática. Negociar com o governo não é a mesma coisa que negociar com consumidores ou empresas privadas. Nesta esfera, erros são punidos com multas altas e a perda do direito de licitar e contratar com o governo. Não dê bobeira. 

Diminua os riscos

Como já falamos em outras ocasiões, licitar não é um negócio sem riscos. Como qualquer empreendimento, deve-se ter um bom planejamento prévio sob pena de sofrer pesadas consequências. 

Antes de fornecer para o governo, tenha certeza de que você possui bons fornecedores, contatos no mercado, apoio logístico adequado para lidar com imprevistos, capital de giro suficiente para manter a empresa mesmo com atrasos no pagamento e até capacidade produtiva suficiente para aumentos na demanda. 

Cada segmento tem suas peculiaridades e exige uma análise de risco própria, mas estes são alguns exemplos que devem ser pensados. 

Verifique as exigências de cada Órgão

Depois que você já tem sua empresa aberta, está ciente dos riscos e se encontra em uma posição relativamente segura para lidar com imprevistos, é importante verificar as exigências dos Órgãos Públicos para os quais você pretende vender. 

Alguns editais podem exigir uma conta em um Banco específico. Este é um pequeno detalhe que pode gerar atrasos e prejudicar seu contrato, caso não tenha sido visto antes. 

Por isso, fica a dica: pesquise para saber de antemão quais são as exigências e peculiaridades de cada Órgão. Assim você evita surpresas e já começa com o pé direito no mundo das licitações. 

Providencie todos os documentos necessários

Existem documentos que os Órgãos Públicos sempre exigirão na hora de licitar – quer sejam órgãos municipais, estaduais ou federais. Fizemos um artigo especial para falar a respeito deste assunto, mas você também pode baixar nosso checklist.

Busque Licitações

Agora que você já está com a empresa em dia e tem todos os documentos em ordem, o próximo passo é encontrar licitações.

Além da documentação em ordem, é provável que, eventualmente, você se depare com regras que determinem o cadastro prévio em algum órgão ou portal do governo, principalmente se estiver diante de uma licitação eletrônica.

O ConLicitação te ajuda a mapear e localizar as melhores licitações para o seu segmento e área de atuação, inclusive, orientando-o no cadastramento destes órgãos ou portais através da nossa consultoria de apoio.

Veja no vídeo abaixo como encontrar oportunidades de negócios com o ConLicitação: 

Além disso, o ConLicitação também facilita o monitoramento e o acompanhamento do chat nas licitações de modalidade Pregão Eletrônico e Dispensas Eletrônicas. 

Esta é uma ferramenta importante que facilita (e muito) a vida de quem disputa múltiplas licitações em vários órgãos diferentes, pois ajuda a monitorar todas as movimentações importantes que ocorrem nos pregões eletrônicos. É uma excelente maneira de não perder as movimentações em licitações de alta relevância. 

Veja também no vídeo abaixo:

Leia o Edital

Antes de participar de uma licitação você deve ler o edital. Parece bobo e intuitivo afirmar este tipo de coisa, mas muita gente cai no erro de entrar no certame sem ler. 

O edital estabelece todas as regras. Entrar num processo licitatório sem lê-lo é a mesma coisa que jogar um jogo sem conhecer as regras, certamente ficará perdido e cometerá erros grosseiros.

No edital você encontrará todas as informações pertinentes ao processo licitatório: modalidade, formas de pagamento e entrega, data e hora do início da disputa, detalhes e especificações a respeito do produto/serviço, garantias, manutenção do contrato, preço mínimo e por aí vai.  

Se por algum motivo você sentir que o edital é criterioso demais ao ponto de prejudicar sua participação, é perfeitamente possível impugnar e solicitar que o Órgão Público refaça as cláusulas restritivas. 

Por outro lado, se o edital for tão amplo a ponto de não dar todas as informações necessárias para a entrega do produto ou serviço, também é possível pedir mais esclarecimentos. 

Já que falamos sobre impugnar o edital, cabe dizer aqui que não é possível tomar esta atitude em qualquer momento do processo licitatório. Existem fases para isso e se você demorar demais pode perder sua chance. 

Agora é com você…

Depois que você já filtrou as melhores licitações, leu seus respectivos editais e decidiu participar delas, o próximo passo é com você.

Participar de uma licitação é muito mais simples e fácil do que parece. No entanto, para quem está começando, fazer isso com o apoio de uma equipe especializada pode ser mais reconfortante. Por isso, o ConLicitação disponibiliza assessores jurídicos e técnicos para auxiliar com eventuais dúvidas. 

Esperamos que este artigo tenha lhe ajudado e sirva como incentivo para que você comece sua caminhada no mundo das licitações. Se tudo pareceu muito confuso, não se preocupe, pois também existe a possibilidade de vender para o governo sem licitar – leia este artigo, pois este caminho pode ser sua porta de entrada. 

Um grande abraço e ótimos negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acompanhe nossas últimas atualizações